quinta-feira, 30 de abril de 2015

Do or Die

     Parece que nada mais importa para ninguém. Na geração dos meus pais, e até mesmo na da minha irmã, as coisas pareciam serem mais "simples" (se é que podemos chamar assim a adolescência de alguém). Sei lá... é que hoje em dia, nós, os adolescentes, somos muito "excluído" de praticamente tudo.



     Queria fazer um bom texto aqui para vocês, mas dessa vez não vai dar. Estou me sentindo aprisionado pela atual sociedade. Me sinto preso dentro de mim mesmo, pois as pessoas das gerações passadas, nada aprenderam sobre a vida. Sim! Acho que nada foi aprendido sobre a vida nas gerações passadas, pois se algo tivesse sido absorvido, hoje vocês saberiam nos passar alguma coisa. 

    "Você não faz nada! Você só estuda! Na minha época era diferente! No meu tempo eu não era assim! Eu era isso... eu era aquilo! Você só reclama das coisas! Um dia você vai me dar valor! Você não me entende! [...]"

     São cobranças atrás de cobranças. São questões simples que não são respondidas. São coisas básicas, que todos já viveram. São lagrimas que todos já derrubaram. São apertos no peito, que todos já sentiram. Mas muitas das vezes, parece que de nada isso tudo adianta, até que você chegue na velhice. Sim. Pois são apenas os idosos que sabem conversar com um jovem, e as vezes amenizar nossos medos.

     Do que adianta falar que é tantas coisas,  se, se quer sabe conversar com quem precisa? 

     Do que adianta dizer que passou pelas mesmas coisas, se não consegue me dar segurança de que um dia isso vai acabar?

     Não seria mais simples me contar sobre suas experiências, e me dizer como foi que enfrentou-as? Tentar me acalmar, e dizer que mesmo não querendo, me entende?

     Vivo em uma época contemporânea, e isso quer dizer que não temos uma definição, e vivemos mudando. Você acha que é fácil se conhecer em uma época que vive mudando? Você continua querendo que eu acredite que assim como é para mim, também foi para você? Quem você esta querendo enganar? Já sacou que nem você acredita nessas mentiras?!

     Parece que a técnologia, e o "avanço" das coisas facilitaram a vida do adolescente desse século, não é? Mas não... Não facilitaram em nada. Muito pelo contrário... somos mais cobrados do que antes. Vivemos na geração do "agora ou nunca". 

     Se você já sabe de tantas coisas, vamos lá... me ensine a sofrer mesmo! 


     

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Behind the flowers in a light she found the sun.



         Não estou muito inspirado esses dias para montar posts que sejam divertidos, ou que vão ensinar algo para vocês. Mas para não deixar o blog como uma casa abandonada, eu resolvi postar essa foto que tirei no sábado dia 24, e deixar um vídeo de uma música que estou gostando bastante nos últimos dias. Voltei para a vibe de músicas mais calmas, e que me envolvem, entende? Como se a música fosse um cobertor, e eu ficasse enrolado nele, jogado em um canto qualquer da casa, mas me sentindo bem por estar envolvido em um cobertor... 

     Mas chega de escrever, e deixa eu deixar vocês assistirem ao vídeo. 



Isso existe?



     Ontem, mais uma vez minha mãe me disse para poupa-la, e que eu deveria pensar nela e em minha irmã. Disse que eu deveria ser menos eu, e que seria bom eu me guardar mais para mim mesmo. Disse que seria legal eu pensar mais antes de fazer as coisas, e pensar também se o que faço não vai refletir nela e em minha irmã.

     Como poderia eu deixar de ser eu mesmo? Como poderia eu esconder minha essência? Como poderia eu fingir ser alguém que não sou? Como poderia eu mudar para agradar as pessoas?

     Eu juro que quero essas respostas. Não sou bom sendo como sou? Será que expor minha arte faz tanto mal assim para as pessoas a minha volta?

     Se eu pinto meu rosto para um trabalho, estou expondo minha família. Se eu fotografo minhas bonecas, estou expondo minha família, Se eu escrevo aqui no blog, estou expondo minha família. Se eu sou eu mesmo, estou expondo minha família. Como não expor então? Devo parar de ser eu mesmo, e pensar no que vão pensar sobre mim? Estão querendo me proteger, ou se proteger? Mas proteger do quê?

     As vezes chego a pensar que elas tem razão. Chego a pensar que elas é quem sabem o que é certo ou errado para mim. Mas quem foi que criou o conceito de certo ou errado? Isso existe?








Obs: Photo by @mary_hagiwara

quinta-feira, 16 de abril de 2015

#AHomofobiaÉ...

     Apesar de estar um pouco sumido aqui do blog, eu sempre penso em coisas novas para compartilhar com vocês, e sempre que acho que algo pode me agradar, e render conteúdo pro blog, eu logo penso em como montar o post.

     Hoje foi dia de apresentação de trabalho na minha turma, e eu amei. Foi para a aula de filosofia, e eram vários grupos divididos em temas diferentes (tinha muito tema bom lá). O tema do grupo no qual fiz parte foi 'Preconceito Sexual', e com base nisso, abordamos praticamente tudo que envolve a sexualidade (o que pode tornar alguém homossexual ou bissexual, qual a influência que a família e a sociedade tem na formação de uma pessoa desde seu nascimento, na maneira como agimos e rótulos que seguimos por conta da sociedade nos impor algo).
   
     O grupo foi de 7 pessoas, e eu fiz 2 vídeos para apresentar após a parte falada. O primeiro vídeo foi uma mistura de vídeos que peguei no YouTube para que algo prendesse a atenção da turma, e assim eles focariam mais no tema abordado. No segundo vídeo, eu peguei uma ideia que é desse mês. Pedi para algumas pessoas tirarem fotos segurando uma placa onde estariam expostas suas opiniões sobre o que pensam em relação a homofobia.

     Sabe aquele tipo de trabalho que você faz com gosto, e que fica mega feliz em apresentar, pois sabe que vai fazer quem assiste refletir? Então... foi basicamente isso.

     Amei apresentar esse trabalho, e meu grupo se saiu super bem -confesso que nunca participei de um grupo em que todos falaram na apresentação. Todos os 7 do meu grupo falaram, e eu amei isso. Percebi que os que assistiam realmente se ligavam no que estávamos falando, e mostravam que se importavam de alguma forma com a causa.

     Nesse post eu não quero apenas falar sobre a apresentação, mas também divulgar essa ideia, que eu, particularmente amei. Para saber mais um pouco sobre esse "projetinho" clique AQUI. Eu amei essa nova campanha, e espero que bastante pessoas se mobilizem.

     Sempre que me proponho a fazer um trabalho, eu tento dar o meu melhor, e cobro o melhor de quem esta em meu grupo, e eu percebi isso nesse trabalho. Todos os que colaboraram de alguma forma com esse projeto, eu sei que se divertiram, pois a parte que vou mostrar para vocês agora é sobre fotografia.

     Como essa campanha se trata de uma manifestação social, todos os participantes tiraram uma foto, e colocaram na legenda uma hashtag -#ahomofobiaé que é a hashtag oficial da campanha- para que pudéssemos nos comunicar, e também ver o trabalho dos outros. E como se trata de fotografia, ninguém quer sair feio na foto né? Por esse motivo é que eu amei, pois os colaboradores do trabalho do meu, grupo se produziram para a foto, e pensaram em um contexto para a foto, e não apenas aparecer.

     Já escrevi um bocado né?! Então vamos parar de só escrever e vamos para a parte linda* do trabalho. Irei Deixar 8 das fotos do vídeo que montei, e no final deixarei o vídeo para que vocês acompanhem. Bora lá!


 Modelo; @edneia_pansy
Fotografia: @mary_hagiwara



 Modelo: +Manoela Melchioretto 
Fotografia: @mmelchioretto



 Modelo: @artede_rafaelvieira (mais conhecido como eu)
Fotografia: @mary_hagiwara



 Modelo: Doll
Fotografia @artede_rafaelvieira



 Modelo: @thuglanes
Fotografia: @thuglanes



 Modelo: @mary_hagiwara
Fotografia: @mary_hagiwara



 Modelo: @deysethug
Fotografia: @danilossalvatore




Modelo: @vitoriaanovaes
Fotografia: @milasantosnovaes



        Só para avisar que no meio do vídeo tem três fotos de artistas que peguei do site igay.ig


     

     É galera, foi isso. Estou mega feliz, pois depois de um ano estudando de noite e sem fazer trabalhos, agora me sinto em casa novamente rsrs. Espero que tenham gostado da ideia dessa campanha, e que vocês também possam adota-la. Um big abraço apertado, fiquem com Deus, e até um próximo post. Byye.

sábado, 11 de abril de 2015

Se a moda ainda estiver lá.

 
     Desde criança me percebo diferente das outras pessoas. Tenho um sonho, e esse sonho se chama Moda.

     Quando criança,  acompanhava minha irmã em desfiles, e testes para TV, mas nenhum findou. Minha mãe sem perceber,  sem ter isso como uma vontade, acabou colocando a moda dentro de mim, e com todas aquelas aulas de bons modos, acabou que minha educação eu formei.

     Com 11 anos descobri meu amor pela moda, e comecei a criar. Onde eu chegava, onde eu olhava, a moda estava lá.  Parecia coisa do destino, pois até quem não me conhecia também sabia que a moda estava lá.

     Meus professores,  amigos, e até meus familiares perceberam que a moda estava lá.  Era algo incontestável. A moda... ela estava lá. 

     Meu pai diz que não dá dinheiro. Minha irmã diz que é errado. Minha mãe diz que me apóia para cumprir com sua obrigação materna, mas eu sei que ela não gosta.

     Meus professores sim. Ah... meus professores.  O que seria de mim sem eles? Acho que nada.  Mas não digo apenas os professores da escola, mas também dos cursos que fiz.

     Hoje estou perdido, sem saber se a moda ainda está lá.  Mas talvez um dia eu a encontre. Claro. Se a moda ainda estiver lá.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

As Aventuras de Pi.

     Uma tempestade pode mudar muitas coisas, e para nós que moramos em cidades grandes temos inúmeros exemplos de coisas que podem acontecer. Podemos perder móveis, carros, eletrônicos, mas raramente nossa família,


     Confesso que não estava em meus planos assistir algum filme hoje, mas, assim que minha mãe chegou em casa e eu tomava meu lanche da tarde, fiquei procurando algum filme na TV para assistir. Passei por vários canais, mas não encontrava nenhum filme, até que cheguei na FOX.

     Onde eu faço dança tem um poster enorme pendurado na parede da secretária, e esse poster me deu mais vontade de assistir esse filme. Mas hoje, quando coloquei na FOX e ví que estava passando este filme, é claro que não pensei duas vezes e lá mesmo eu deixei. O filme já havia começado, mas ainda estava no começo.

     Tudo se passar com Pi. Seus país decidem vender o zoológico da família por falta de ajuda para mante-lo, e decide vender os animais para tentar recomeçar a vida com a família em outro lugar, mas isso é interrompido quando ocorre um naufrágio com o cargueiro que a família de Pi estava.

     Pi se encontra sozinho, em um bote salva-vidas, apenas na companhia de um orangotango, uma zebra, uma hiena, e um tigre-de-bengala -o nome dele é Richard Parker. Mas como estes seres não podem conviver juntos, lógicamente acaba que a hiena mata a zebra e o orangotango, e o tigre mata a hiena e se alimenta de todos -menos de Pi, calma... rsrs.

     Pi fica a deriva durante quase um ano, e durante esse tempo ele consegue se dar bem com o Richard, e eles acabam se tornando "amigos". Em certos momentos, Pi diz que só sobreviveu pois Richard estava lá o tempo todo, e o medo fez com que ele se mantivesse em alerta o tempo todo.

     Ao longo de sua jornada, Pi se redescobre como pessoa, e começa a perceber o que realmente vale a pena, além de começar a perceber o quão mágico que o mundo. Pi chega em uma ilha carnívora, onde muitas coisas acontecem, e essa ilha foi uma das maiores lições para ele.

     Pi acredita ser guiado por Deus o tempo todo, e que tudo o que ocorre com ele tem um proposito. Pi chega a discutir com Deus algumas vezes, mas depois de algum tempo ele ia desvendando a situação toda.

     Me apaixonei por este filme, e o considerei magnifico -e deve ser mesmo, até porque já recebeu 11 indicações ao Oscar. Já faz algum tempo que ele foi lançado -tipo... em 2012 rsrs- mas só assisti hoje. Super recomendo, pois ele nos leva a refletir sobre nossa vida, e as situações que muitas vezes vivemos. Além de tudo, depois de salvo Pi tem que criar uma história para as pessoas acreditem no que ele diz.

     Pi já se tornou adulto, e agora tem sua própria família, mas mesmo assim, ainda tem que contar suas duas versões do que houve. Nunca saberemos a verdade, mas eu prefiro acreditar na história do Tigre. Prefiro acreditar na magia por trás de tudo o que vemos no mundo.

   

     Bom... esse post não foi bem para resenhar o filme, mas acabou meio que se tornando uma resenha. Espero que vocês tenham gostado, e por favor, se já assistiram, deixem aqui nos comentários o que achou do filme. Agora deixo o vídeo da trilha sonora do filme -que por sinal, fiquei mega feliz em perceber que era essa- e tenho certeza que muita gente já conhece ela, e vai amar.
   
     Um big abraço apertado, fiquem com Deus, e até um próximo post. Byye.

 
   

quarta-feira, 8 de abril de 2015

"Chocolate Quente" e Mallu Magalhães.

     A Páscoa já passou, e isso é mais do que lógico. Mas como não sei comer muito chocolates em um único dia, fica obvio sobrar para pelo menos 2 dias.




     Ontem o dia foi maravilhoso, um tipico dia de inverno. Um dia gelado, e que pedia para você ficar deitado coberto, com os fones de ouvidos, e uma bebida quente do lado. Como ainda tinha chocolates aqui em casa, eu resolvi sujar a borda da "micro" xícara com chocolate derretido -pelo menos tentei rsrs- e coloquei leite morno, e uma canela em pau para dar um charme.

     Pensei em comer caquinhos de chocolate, mas resolvi colocar todos os caquinhos dentro da xícara junto com o leite. O sabor ficou divino, pois com o leite morno, o chocolate começou a derreter, e a canela liberou seu sabor. 

     Fui para meu quarto. Passei a tarde toda deitado com os fones de ouvido escutando a deliciosa voz da Mallu Magalhães, tomando meu "chocolate quente", e enrolado em meu cobertor. Não queria mais sair dali, parecia que era o melhor lugar do mundo. Me senti bem, acolhido, -e confesso que preguiçoso também. Mas tive que sair, afinal temos nossas obrigações para cumprir. 

     Bom... eu já contei que fiquei deitado, que fiz "chocolate quente", e que fiquei escutando Mallu Magalhães, mas eu quero dividir mais do que apenas isso com vocês. Irei aproveitar para deixar uma música que estou viciado, e é lógico que é da Mallu. Vamos lá!



   



     E ai, gostou da música tanto quanto eu? Você já ouviu falar na Mallu Magalhães? Curte posts desse tipo? Deixa ai nos comentários para que eu saiba mais de vocês, e seus gostos. Mas eu espero mesmo que vocês tenham gostado. Então um big abraço apertado, fiquem com Deus, e até um próximo post. Byye.





domingo, 5 de abril de 2015

Easter



     Muitos lembram dessa data como o dia de ganhar chocolates >< mas na verdade ela é uma das três festas anuais comemoradas pelos Judeus, e tem todo um contexto bíblico e histórico por trás disso. Mas a tradição de entregar ovos de pascoa vem bem antes do cristianismo, é na verdade uma tradição ligada ao culto da fertilidade. Mas antes não eram ovos de chocolate, mas sim, ovos de madeira ou de cera pintados. Eles eram trocados como presentes, para comemorar a chegada da primavera, e também a vida. O símbolo do coelho é pelo fato de ser um animal muito fértil, e daí obviamente representa a fertilidade. 
   
     Desde criança eu sempre ganhei muitos ovos de chocolate, e amava. Como quase toda criança eu era fascinado por chocolate, e quando vinham com brinquedos eu me sentia da Fantástica Fabrica de Chocolate. Ganhada da minha mãe, do meu pai, dos meus padrinho, do namorado da minha irmã, dos professores do colégio, da empresa do meu pai, e também das brincadeiras de trocar chocolates. Tudo aqui era como se fosse uma festa pra mim.

     Hoje não me importo muito com chocolate, um ovo pra mim já basta -mas ainda amo chocolate. Cresci com a tradição de dar e receber chocolates, mas também, aprendi desde cedo que o melhor da páscoa é quando nos reunimos com aqueles que amamos, e sentamos para compartilhar uma refeição. O melhor da páscoa é a gratidão pelo que temos, e conquistamos. O chocolate faz parte, e é gostoso, mas ele não é o verdadeiro objetivo, e sim um agrado.

     Sou de berço cristão, e por isso eu acredito na ressurreição de Cristo Jesus. Cresci escutando histórias cristãs sobre a pascoa, e sempre as achei muito lindas. No ano passado eu assisti um vídeo -na verdade ele é 2013- muito fofo em que crianças narram a história da páscoa, e acredito que muitos já tenham assistido, mas mesmo assim eu vou deixar aqui no fim do post.

     Que possamos sempre tirar alguns minutinhos de nossos dias para refletir sobre a vida, e o quão ela nos tem sido. No lugar de reclamar sobre tudo, comesse a se alegrar mais pelas pequenas coisas, só assim sua vida será mais leve, mais feliz. Feliz páscoa galera, e que esse domingo possa ser um excelente domingo para todos nós. Um big abraço apertado, fiquem com Deus, e inté um próximo post. Byye.



           

sábado, 4 de abril de 2015

O Jovem No Brasil Nunca é Levado a Sério.


     Sabe quando você esta revoltado com o lugar onde vive, com o país em que mora? Então... estou muito assim ultimamente.

     Vejo professores indo para as ruas protestar pedindo algo impossivel, enquanto seus alunos ficam largados nas escolas, sem aula, sem um guia para seu futuro. Vejo médicos irresponsáveis indo para as ruas protestar, e deixando dezenas de pessoas morrem pela falta de ajuda. Vejo uma mulher de merda no comando do meu país, afundando cada vez mais ele na lama, e aumentando o ódio da população. Vejo pessoas ignorantes, que nasceram para morrer na merda, pois não tem coragem de gritar... de gritar, de gritar a verdade. Vejo pessoas com vontade de cuspir naqueles que estão nos afundando cada vez mais na lama. Vejo pessoas que estão cegas por uma verdade babaca, que nada mais querem fazer do que acabar com a liberdade, e a coragem daqueles que tem visão. Vejo policiais sendo piores que bandidos. Vejo policiais, que matam, roubam, torturam, estupram muito mais do que bandidos. Vejo políticos acabando com a vida de milhares de pessoas por dia. Vejo pastores levando suas ovelhas para o abismo. Vejo, acima de tudo... vejo jovens talentosos, com vontade, com desejo, com garra, desistindo de seus sonhos e desejos, pelo simples fato de não receberem apoio de suas famílias, amigos, professores... apoio da sociedade.

     Vejo muita coisa que acontece que me dão vontade de sair gritando loucamente por aí, esperando que minha voz seja ouvida, ou que se acabe de vez. Não posso crer que nós, os jovens, o futuro dessa merda de Brasil, não temos credibilidade na vida. Onde já se viu um país tão "evoluído" como esse nosso Brasil não permitir que seus jovens consigam um emprego, por conta de serem "menores" de idade. Onde já se viu um bandido ficar livre, ou viver sustentado por pessoas que lutam para tentar ter 1% de sua vida digna. Odeio a "regra" de que o jovem brasileiro só aparece em mídia quando é para ser humilhado, envergonhado.

     Quantos milhares de jovens temos neste país que precisam apenas serem lapidados, pois são verdadeiras jóias. Jóias que podem ser as mais valiosas do universo, mas por falta de vergonha na cara dos "grandões" são jogadas no lixão. Jovens que são destruídos pelo sistema que corrói nossa vida cada vez mais.

     Posso não conquistar o mundo. Posso não sair de minha cidade. Mas sempre que puder, eu irei gritar. Gritarei em cada lugar que eu for, e sei que um dia, alguém nesse mundo vai me ouvir, vai ouvir meu grito, e então... então essa porra vai ter que mudar. Se for pra ter uma guerra, então uma guerra vamos ter, mas meu país ainda vai ter que engolir a realidade de que nós, os jovens desse país, nós é quem damos lucro para que essa merda cresça. Somos nós que gastamos em shoppings centers. Somos nós que gastamos em cinemas. Somos nós quem faz propaganda de graça do quão "bom" é o nosso país. Somos nós que atuamos, desenhamos, fotografamos, brincamos, sorrimos, cantamos, escrevemos, lutamos, corremos, dançamos, falamos, mentimos bem. Mas um dia esse Brasil vai ter que engolir essa verdade, e admitir que sem nós... sem nós ele não seria nada.

     Acorda galera. Já passou da hora de sairmos nas ruas exigindo nossos direitos. Essa merda de país cria milhares de leis, mas não cumpre nenhuma. Essa merda de país fala de bolsa isso, e bolsa aquilo. Mas eu não quero mais motivo para que o pobre pense que ser vagabundo é bom. Não quero mais motivos para que pensem que quanto mais filhos ($$) melhor. Quero apenas que nosso direitos existam.

     Não aguento viver preso em uma realidade na qual me impedem de trabalhar apenas por ser jovem, e pensarem que sou incapaz de realizar algo com perfeição. Não me cobrem experiência profissional, pois nunca pude trabalhar. Não me cobrem uma nota azul no boletim, porque nem tudo que se aprende na escola tem importância. O que aprendemos na escola, morre na escola, pois assim como não podemos dormir na escola, também não acreditamos que podemos estudar em casa.

     É lindo quando um jovem se dedica aos estudos para o vestibular, ou sonha em ser doutor, e é ridículo quando um jovem quer viver de desenhos, fotografias, teatro, dança, ARTE. Não aguento mais essa realidade em que todos temos que seguir um único caminho só para agradar aqueles que não tem visão. Não sei viver para agradar.

     Não mande que eu me cale, pois mais eu gritarei. Não sei ter medo. Não sei ficar quieto. Mesmo que em silêncio eu fique, minha revolta, e meu protesto serão expressos com um lápis na mão, e algum lugar limpo perto. Posso receber todos os rótulos que quiserem me colocar, mas nenhum deles me marcaram, pois não sou um produto para ser rotulado, e se eu fosse, seria eu uma edição limitada de apenas uma fabricação.

      Se você chegou por aqui por acaso, e se assustou com esse texto, fique despreocupado pois não é esse meu tipo de post, mas as vezes é bom sairmos da rotina. Simplesmente senti vontade de gritar teclando, e acabou nisso. Não aguento viver em um país que na verdade é uma prisão. Não aguento mais viver em um país que se diz evoluído, mas quando um jovem se pronuncia, logo tentam o calar dizendo que ele deve ir pra escola. Mas... me digam uma coisa: O que ensina mais, a escola ou a vida?

     Tem uma música que expressa quase tudo o que sinto, e essa ficará aqui de baixo. Para finalizar eu deixo uma frase simples, e bem conhecida. Deixo uma frase que diz muito, e que ainda vão ter que aceitar que isso é uma verdade.   "O JOVEM NO BRASIL NUNCA É LEVADO A SÉRIO!"



               







  Obs: Foto tirada pela @monica_dovalle

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Faxina


     Sabe aquele dia que desde que eramos crianças nossa mãe/tia/avó tira pra fazer aquela faxina na casa? É, aqui em casa não é muito diferente. Minha mãe sempre gostou de limpar a casa nas sextas ou sábados. No caso de hoje, uma sexta-feira. Sempre curti ajudar a limpar a casa, mas confesso que hoje em dia eu não gosto muito disso. Mas quando temos que fazer, o melhor é arrumarmos coisas para passar o tempo não é mesmo? E no meu caso, eu amo arrumar meu quarto -sim, eu arrumo meu quarto rsrs- assistindo vídeos. Hoje em especial eu estou assistindo aos vídeos da Niina Secrets, e aos da Melina Souza. 
     É cansativo, pode se tornar algo mega chato, e sem contar que depois que tiramos as coisas dos lugares, e as jogamos na cama, parece que o mundo desabou e que nunca iremos arrumar lugar para organizar tudo né?! Mas se tenho que fazer, que seja de uma forma divertida, e com algo que me distraia. 
     Não irei montar nenhuma playlist neste post, e nem ficar enchendo de vídeos. Irei apenas deixar os 4 vídeos que estou assistindo para passar o tempo enquanto essa guerra não termina. Bora lá.



             





           





            





           




     Então é isso. Estes são os vídeos que estou assistindo enquanto arrumo meu quarto -ou melhor... que irei assistir já. E vocês, o que estão fazendo nessa sexta de feirado?








Obs: A imagem ilustrativa foi criada, e fotografada por mim.