terça-feira, 30 de junho de 2015

#ElesPorElas

     Quando criança eu sempre me perguntava porque que eu não podia brincar com as bonecas da minha irmã, e porque eu não podia brincar das coisas que minha irmã brincava, nem se quer Barbie eu tinha a permissão para assistir. Agora que já sou quase um adulto as coisas continuam iguais, mas agora eu me permito fazer o que tenho vontade, sem me importar tanto com os pensamentos alheios.





     Desde que eu era criança eu já me perguntava o porque dessa divisão de gêneros. Será mesmo que isso iria influenciar as pessoas sobre sua sexualidade, ou iria apenas existir mais pessoas realizadas, mais pessoas felizes, mais pessoas melhores no mundo?!

     Ontem, enquanto eu assistia um programa no canal GNT, eu amei ver sobre essa campanha em um comercial. "O GNT e a ONU Mulheres estão convocando os homens para assinar  o compromisso #ElesPorElas, e assumirem uma posição a favor da igualdade de gêneros". O maior preconceito em cima disso vem da parte dos homens, e isso é muito errado, pois um menino, ou uma menina não se tornará homossexual se tiver a "liberdade de gênero" desde criança, muito pelo contrário.

     Você sabia que um homem que quando criança brincava com bonecas, agora que adulto ele saberá como cuidar de seu(sua) filho(a) muito bem? Você sabia que dando panelinhas e bonecas de bebes para sua filha, você está criando uma mulher dona de casa, e que pode ser submissa da forma errada para seu marido? Você sabia que a brincadeira que seu filho gosta, ou o brinquedo que ele deseja não terá influência sobre sua orientação sexual quando adulto?!

     Muitas famílias tem o costume de educar seus filhos de uma forma ignorante. Criar uma criança querendo impedi-la de brincar com determinados brinquedos, ou usar determinadas coisas, simplesmente por ser algo "considerado" errado para ele/ela, isso pode causar um trauma na cabeça da criança, ao ponto de ela querer fazer algo para confrontar seus pais no futuro, ou até mesmo para se rebelar contra as "regras".

     Já passamos da hora de aprendermos que uma boneca na mão de um garoto não fará dele um homossexual, assim como um caminhão azul na mão de uma garota não fará dela homossexual. Devemos mostrar paras nossas crianças que elas podem brincar com tudo o que elas quiserem, e ensina-las para que cada brinquedo serve, e qual o papel de cada coisa no mundo, afinal... as crianças montam um mundo dentro de suas cabecinhas, e é um mundo baseado no que elas nos observam fazendo.

      Uma pessoa que tem liberdade de escolha quando criança, assim que se tornar um adulto ela poderá ser mais livre e segura para trabalhar com o que deseja, e assim, ela vai sempre ser um exemplo a ser seguido. Precisamos de mais exemplos do que palavras e discursos nesse mundo. Então, que nós possamos a partir de já, sermos um exemplo para nossas crianças, e mostrarmos para elas que elas podem tudo que quiserem, e isso não mudará sua essência.
 
      Bom... agora que eu já escrevi até demais aqui nesse post, eu irei deixar o link para você que se interessou pela campanha, e quer saber mais sobre ela. Clique AQUI e saiba mais informações. Vamos mudar agora, pois não temos mais tempo para perder.

 #ElesPorElas
#HeForShe

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Dica de Leitura: Os Familiares (Agora, Magia não é só coisa de Bruxos!)

     Juro que nunca pensaria em comprar esse livro, e nem o pediria emprestado, mas... como o universo é mirabolante, acabei ganhando ele de Natal.


     Tudo começou quando uma amiga da minha mãe me deu esse livro de presente de Natal, daí, obviamente eu teria de ler, pois são gosto de desperdiçar livros. A capa dele é lindíssima, as folhas são amareladas. Talvez eu tenha gostado dele pelo fato de eu sempre julgar o livro pela capa, e também amar as folhas amareladas, e esses deis requisitos foram alcançados. 

     O livro tem uma escrita bem leve, é mais um daqueles livros que você acaba sem perceber que tinha chegado no final. Ele é dividido em 19 capítulos, e tem apenas 341 páginas. Fora o fato de que em algumas partes tem ilustrações em preto e branco, e são ilustrações em estilo de esboço, pois são cheias de traços. 

Sobre:

Autor; Adam Jay Epstein
Editora: Salamandra
Páginas: 341
Assunto: Infanto-Juvenil



     Agora deixa eu falar sobre a história né?! Nesse livro, nós, os leitores, passamos a conhecer um pouco mais sobre os animais que os feiticeiros costumam ter, e aprendemos que podemos mais do que pensamos.
     
     Aldwyn (o gato), Giubert (a perereca), e Skylar  (um pássaro), são os os leias de Jack, Mariane, e Dalton. 

     Aldwyn nos é apresentado como um gato de rua, mas logo ele percebe que é um pouco diferente, e vai parar num abrigo de animais mágicos (os familiares), onde é adotado por Jack. Jack pensa que Aldwyn é mágico, e o leva para sua "casa". Chegando lá ele é recebido bem pelos outros familiares (Gilbert e Skylar), mas Skylar logo percebe algo de diferente em Aldwyn. 

     Muitíssimas coisas acontecem (Kalstaff morre, Loranella é "traída", os leais são aprisionados, os familiares descobrem sobre Aldwyn [...]). Podemos dizer que o mundo caiu sobre os familiares , e eles tiveram a missão de colocar tudo no lugar em apenas 3 dias. Mas... por sorte do universo, tudo da certo, e os familiares resolvem a bagaça toda, e ainda por cima, no final do livro descobrimos um segredo, mas é um segredo que faz os acontecimentos terem sentido, e também explica muita coisa. No final, eles descobrem que [...].

     Eu hein, que povo curioso (RISOS), não vou contar o final, até porque, ainda tenho que ler mais dois livros para acabar de vez com a história (até onde eu sei, são três volumes). Caso você queira saber toda a história, saber qual o segredo do final, e também todo o resto, clica no link que vou deixar no final e já compre o seu.

     Eu recomendo esse livro para pessoas que gostam de livros de feitiçaria, suspense, e com desenhos. Eu certamente nunca teria comprado esse livro, mas ainda bem que ganhei ele de Natal. A escrita é gostosa, a história é divertida e mágica, o final é intrigante, e, além de tudo, ainda tem alguns esboços ao longo da história.  

     Eu amei ter lido esse livro, e já quero comprar os outros.  Espero que vocês tenham gostado dessa dica de leitura, e comprem o livro. Se alguém aí já leu todos, pode me contar nos comentários hein, pois eu não tenho problema com spoiler, mas deixa uma hashtag com a palavra SPOILER, pra ninguém ler sem saber, e ficar com raiva.  Um big abraço apertado, e fiquem com Deus. Byye.   


Link para comprar:  


domingo, 21 de junho de 2015

chicos.cc

     Daí você se depara com um site novo (literalmente, pois ele foi lançado ontem) e além de tudo, ele é basicamente sobre uma das coisas que mais admiro no mundo, que é o corpo humano. 


     Quem me conhece sabe que sou cheio de inseguranças com meu corpo, e sempre que vejo um trabalho desse tipo, eu meio que começo a ter um pouco de confiança comigo mesmo. Amo perceber que a fotografia do nú esta em alta, e amo ainda mais saber que os modelos são pessoas normais, e não pessoas com corpos "perfeitos". 

     Eu sou viciado no Instagram, e sigo um perfil que posta fotos que eu amo observa-las, e são fotos simples, fotos de comidas, livros, decoração, dele mesmo, dele com o namorado, e até alguns quase nu. Amo as fotos que ele posta, e esses dias ele postou uma nova foto, uma foto onde anunciava o lançamento de um site, um site em que ele participaria. Agora esse site já entrou para minha lista de "queridinhos". 

     Esse site se trata de um projeto onde será abordado o mundo gay masculino. No site tem fotos de homens nús (homens reais, com pelos, gordurinhas, com vida), e junto com a foto, tem textos contando sobre o "modelo", e também, um vídeo em que o próprio fotografado fala sobre sua vida.

     Até o momento tem 7 posts diferentes, com homens diferentes, realidades diferentes, mas todos gays. todos lindos, todos reais. Não existe um padrão para esse projeto, basta ser gay, e ter coragem de ser quem é. 

     Li todos os os posts até agora, e tudo o que li, e o que ouvi assistindo aos vídeos, foram coisas que me fizeram bem. Gosto de encontrar meios onde consigo me sentir normal. Gosto de saber que existem pessoas que são fora dos "padrões", e são felizes, belas, verdadeiras. Gosto de encontrar pessoas que não tem pudor quanto ao próprio corpo, e que não ligam para ter ou não pelos, estar ou não com o tal "pneu" no abdomen. 


     O projeto é desses dois (os que aparecem censurados lá em cima), o Fábio Lamounier, e o Rodrigo Ladeira. Dois jovens lindos e corajosos, com um projeto maravilhoso de fotografia, e que se Deus permitir, ainda vai crescer muito. 

     O site pede que você seja maior de 18 anos para acessa-los, mas eu não vejo lógica nisso, afinal... quem ainda fala a verdade para perguntas tolas como essa sobre idade em site né?! A foto que esta com a tarja aparece lá no site sem ela, mas eu tive que por, pois não achei legal a ideia de mostrar tudo aqui em meu blog, se você quiser conferir tudo, passa lá no site, deixo todos os links no fim do post.

     Bom... o post de hoje é basicamente sobre esse site, e espero que vocês, que assim como eu, gostam de fotografia, deem uma passada por lá, garanto que vocês não vão se arrepender viu. E antes que eu me esqueça... se o Fábio, ou o Rodrigo estiverem lendo isso, meus parabéns pelo projeto, e que ele cresça a cada dia mais. 


Links

Instagram onde descobri o projeto: @ficoaoleo 
Instagram do projeto: @aboutchicos
Site do projeto: chicos.cc





Obs: Todas as fotos usadas nesse post foram retiradas do site/facebook deles. 


sábado, 20 de junho de 2015

Avalon High

     O maior erro que cometemos, é o erro de interpretar. Temos a velha mania de pensar que sabemos de tudo, e isso é em todas as idades. Sempre pensamos que a verdade pode ser algo obvio, mas não é bem assim.



Para ler escutando. 



      Quem me conhece sabe que não sei fazer resenhas, mas gosto de comparar com o atual mundo, tanto os livros quanto os filmes, e escrever textos que me vem na mente. O filme que me inspirou dessa vez foi o Avalon High (de 2010), e ele é muito legal. Eu recomendaria que ele fosse passado nas escolas, independente da série do aluno.

       O filme mostra que nem sempre o obvio será o certo. Passamos muito tempo reclamando das coisas que temos, e muitas das vezes são reclamações injustas. Nos questionamos o tempo todo, mas infelizmente, fazemos isso de uma forma negativa. Nos cobramos demais, e acabamos por não fazer nada. Buscamos respostas, que na verdade não queremos ouvir. Desejamos um sucesso inexistente, algo fictício, unicamente da nossa imaginação. 

       Posso falar apenas como um adolescente que sou. Posso dizer que sempre me pergunto sobre meu futuro, e busco nos outros as respostas. Julgo pelo obvio, e acredito, quase sempre, que ele seria a verdade, mas sempre me engano. 

       Deixamos de falar a verdade, e sempre usamos o medo de magoar como desculpa. Vivemos inventando desculpas para nossos julgamentos, mas não os tentamos mudar. 

       Precisamos aprender a observar com mais atenção, e a nos questionar sobre o que realmente seria relevante. Precisamos ter mais autoconfiança, e acreditarmos que, no final, tudo vai dar certo. Precisamos acreditar mais em nós mesmos. 

       O obvio pode quase sempre estar errado, mas só descobriremos isso depois de muito refletir. Não adianta chorar por um erro e acabar desistindo de tudo, mas sim, adiantaria muito se usássemos esse erro como uma lição, algo para nos marcar de uma forma positiva. Precisamos aprender a interpretar mais as coisas, e só assim nós iremos aprender a acertar mais.

      Não use o erro como um motivo de vergonha, mas sim como um combustível para o sucesso.





quinta-feira, 18 de junho de 2015

O mais fofo que já conheci

     Sou do tipo de pessoa que tem coisas fofas como uma terapia, e me sinto super "zeeeen" quando estou olhando coisas fofas, ou perto de pessoas que considero fofas.


     Hoje vou fazer uma coisa que nunca fiz aqui no blog, que é falar sobre um blog que sigo e gosto bastante. Estou falando sobre o A Series Of  Serendipity, que é o blog da Melina de Souza, mas que tem participação de algumas outras pessoas. Esse blog é o tipo de blog que eu, com toda a certeza do universo, quero que seja eterno. 

     A garota dona do blog é a Melina de Souza, e, alguns dos posts também são escritos por seu irmão Guilherme de Souza. Eles são pessoas que aparentam serem fofas, e meigas, além, é claro, de serem bem inteligentes e talentosos. 

 Melina de Souza




Guilherme de Souza



     Nesse blog, o que eu mais amo é que encontramos coisas aleatórias, que conversam entre si. Nele existem posts de fotografias, outros são de look, alguns são de playlist, e a maioria são sobre livros. O que mais gosto, é que em praticamente todos os posts tem fotos, mas são fotos gostosas de ficar observando, são fotos que nos transmitem algo gostoso. Além de serem fotos fofas, elas também nos fazem sentir vontade de colorir, ler, fotografar, ou até mesmo, tomar uma xícara de chá.


















     Bom, agora que eu já falei um pouco sobre o blog e seus autores, agora vou dizer o que me levou a montar um post sobre ele. Além de eu amar, e ter esse blog, e seus autores como um exemplo a ser seguido, eu hoje, enquanto procurava inspiração para um post, acabei lendo outro totalmente diferente ao que eu procurava. Encontrei um post feito pelo Gui, e que fala sobre um dilema que, hoje, mais uma vez eu passei por ela.

     Durante uma prova de história e filosofia (com questões do enem), eu não consegui me concentrar no segundo tempo, e com isso minha nota mostrou que preciso aprender a focar mais. Esse dilema é vivido por quase todas as pessoas que conheço, mas não é em todo o momento, porém, na maior parte é em momentos que precisamos de foco.

     No post que eu li, o Gui falava sobre o livro Time Warrior, e agora estou com vontade de ler esse livro. Estou com vontade de ler o completo daquilo que já muito me ajudou.

     Como o post de hoje é sobre o blog da Mel, e estou também falando sobre um post em especial, eu irei deixar aqui em baixo o link para o post, e também para o instagram, e fanpage.

      Espero realmente que vocês que não conhecem esse blog (acredito que poucos) cliquem no link para conhece-lo, pois, ele é realmente um blog muito gostoso para passarmos o tempo, e também buscarmos inspirações. Agora deixa eu ir nessa, pois os livros me chamam. Um big abraço apertado, e até um próximo post. Byye.


Links

Fanpage: blogserendipity
Instagram: @melinwonderland
YouTube Melina Souza: Serendipity
YouTube Guilherme Souza: As Aventuras de Gui





Obs: Todas as fotografias deste post são do blog A Series Of Serendipity.

     


domingo, 14 de junho de 2015

Se permita permitir.

E atrás de cada uma dessas fotos tem uma história.  Atrás de cada história tem um objetivo. Atrás de cada objetivo tem uma vontade.  Atras de cada vontade tem uma verdade. E atrás de cada verdade tem uma realidade. Nossas realidades são diferentes umas das outras. Pode não parecer, mas temos muito a oferecer. Se permita conhecer as pessoas. Se permita experimenta-las. Se permita permitir.

sábado, 6 de junho de 2015

Tomorrowland Terra Do Amanhã.



      Mas minha gente, que filme mágico, confesso que me lembrou bastante o desenho dos Jetsons. Achei tudo muito lindo, desde as roupas, cenários, até o George Clooney (a vai, ele é mesmo rsrs). Esse filme é maravilhoso, e é até bem divertido. No começo do filme é tudo muito devagar, mas conforme vai avançando, nós começamos a ligar uma coisa na outra, e do meio em diante, nós já conseguimos sacar toda a jogada.

      O filme se passa em dois momentos, o presente e o futuro. No presente, obviamente, vivemos a vida que já levamos hoje. Temos nossas rotinas, obrigações, e nossas dificuldades de sempre, já o futuro... o futuro mostra um mundo totalmente reformado. O futuro segundo o filme (e segundo a os nossos atuais cientistas e inventores) é algo bem próximo da realidade do desenho dos Jetsons. As ruas são no ar, e tem... parem de ser curiosos, para saber como que é, basta assistir Os Jetsons, ou melhor ainda, assistir ao filme.

     Sempre presto muita atenção quando vou assistir filmes, e esse foi um dos filmes que mais achei relevante, e aconselharia que fosse passado nas escolas. Conseguimos ligar nossa realidade, e também os problemas que vivemos com o tempo presente do filme. O futuro que vemos no filme, é de fato, um futuro trabalhado para a humanidade, mas o filme aborda isso de uma forma bem realista e complexa. 

     Todos nós aprendemos milhares de coisas enquanto estamos em formação acadêmica, mas infelizmente não são todas as pessoas que conseguem aproveitar essa etapa da vida para reparar nos verdadeiros problemas. Para nós, tudo está sobre controle, não temos o que temer, mas na verdade é muito pelo contrário, pois um erro do homem pode acabar com a vida, e transformar o planeta em um gigantesco deserto durante bilhões de anos até que tudo recomece. 

     Sabemos que o futuro pode ser maravilhoso, mas parece que a humanidade está em um ciclo vicioso. Trabalhos, gastamos, trabalhamos, gastamos, trabalhamos, gastamos [...], e no meio de tudo isso apenas uma coisa importa... o a nossa vida. Estamos ocupados demais cuidando de nossas vidas, e esquecendo de cuidar do planeta. 

     A maior parte das pessoas sabem que a NASA sabe de coisas que pode mudar a humanidade, e sabemos que cientistas, presidentes, astrônomos, e outros gigantes sabem de muitas coisas, e que a cada dia que se passa, mais coisas são descobertas. É obvio que jogar a bomba para as pessoas não seria uma boa, pois causaria uma grande rebelião de nossa parte (porque somos ignorantes pra caralho mesmo). Mas, eu acredito que deveriam nos preparar através de filmes, matérias didáticos, seriados, e coisas desse tipo, para que se alguma coisa ocorresse nós saberíamos como agir (ao menos uma idéia teríamos).

     Na verdade isso já acontece, e somos preparados para isso, mesmo que indiretamente. Assistimos muitas coisas sobre danos que a ciência pode causar na humanidade, e também lemos livros, conversamos, e até brincamos com coisas do tipo, coisas relacionadas a catástrofes, evoluções, e coisas desse tipo. Mas sempre iremos duvidar disso, sempre iremos dizer que isso nunca ocorrerá. 

     Sempre penso que nós somos bem ignorantes, temos o conhecimento nas mãos, mas quase nunca os usamos. Quando criança acreditamos em magia, depois, já na adolescencia, nós diminuímos essas crenças, mas mesmo assim acreditamos, e quando adultos... é nessa hora que paramos de acreditar em coisas que não vemos (pelo menos não todos os dias). Acredito muito, e quem me conhece sabe que eu realmente acredito que deveríamos carregar conosco toda aquela magia da infância, e a inteligencia da adolescencia. Deveríamos sempre acreditar que o mundo vai além do que vemos, ou além de Céu, Terra, e Inferno.  

      Sei que ficou imenso esse post, e que provavelmente ninguém vai ler, mas é isso, quis falar sobre o filme e a vida "real", e saiu isso. Talvez eu grave um vídeo (ou não) falando sobre, dai pode ser que fique mais intendivel (e eu acho que essa palavra não existe rsrs). 
  
     Desculpe se eu te deixei perdido com todo esse texto sem nexo, mas é o que tinha pra hoje, logo logo eu volto a falar sobre livros, e postar como antes, mas é que agora estou meio que atarefado com alguns projetinhos. Um big abraço apertado, fiquem com Deus e até mais... 


     Fiquem com o trailer...
     



Obs: Esse filme é um trabalho da Disney, e foi lançado aqui no Brasil na data de 04/jun/2015.